Ações do documento

Começa a maior capacitação em software livre realizada à distância


Cerca de 500 servidores públicos federais começaram ontem (26/09) um treinamento voltado para o aprendizado de ferramentas baseadas em padrões abertos. A novidade é que os alunos – lotados em diferentes órgãos espalhados pelo país – têm a liberdade para escolher seu próprio horário de estudo, já que os cursos foram desenvolvidos para o ambiente de ensino à distância.

A iniciativa faz parte do projeto CDTC – Centro de Difusão da Tecnologia e Conhecimento, conduzido pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), em parceria com a Radiobrás, a Universidade de Brasília (UnB) e a International Business Machine Corporation (IBM). O objetivo é difundir as soluções que utilizem padrões livres por meio da capacitação de técnicos, profissionais de suporte e usuários dos sistemas da administração pública.

Em uma primeira fase, os servidores serão treinados em BRoffice, OpenGroupware, filosofia GNU e Moodle, que é considerada uma das melhores ferramentas de gestão de conteúdos de aprendizagem produzida pela comunidade do software livre. Por isso mesmo, essa foi a plataforma escolhida para a realização de todos os treinamentos.

O interesse pelos cursos superou a expectativa até mesmo dos organizadores. De acordo com o coordenador do CDTC, Djalma Valois Filho, foram mais de 1.800 inscritos, representando cerca de 30 instituições, entre ministérios, autarquias e empresas públicas. Os órgãos recordistas de participação foram a Caixa Econômica Federal (CEF), a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), a Radiobrás e o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro). Juntos, esses órgãos cafastraram mais de 700 servidores para o treinamento.

“Tivemos que limitar a participação nessa primeira etapa em 500 pessoas devido a quantidade de monitores disponíveis no momento. O ideal é termos um monitor para cada 50 alunos”, afirma Djalma, antecipando que uma das exigência para o recebimento do certificado ao final do curso é que o aluno atue como monitor em, pelo menos, uma turma. “Se todos cumprirem sua parte, teremos condições de atender 25 mil pessoas já nas próximas inscrições. Dessa forma, estaremos resolvendo o problema da qualificação em software livre no poder público”, calcula.

O próximo passo, segundo o assessor da presidência do ITI, é ampliar o leque de opções dos cursos que passarão a ser ofertados mensalmente, como o de programação Phyton, já confirmado para o mês de outubro. Além disso, em breve o CDTC disponibilizará no ambiente Moodle todo o conteúdo de treinamento do programa Técnico-Cidadão (destinado à capacitação de jovens carentes em ferramentas livres). “Aproveitaremos uma rede de pessoas já formada para garantir a qualificação de mais jovens por meio dos servidores públicos capacitados”, anuncia Djalma, acrescentando que a atuação do Centro também será expandida para países da América Latina e Caribe, aglutinando comunidades de excelência a partir de treinamentos baseados em educação à distância.

É importante lembrar que todos os cursos oferecidos pelo CDTC são gratuitos e não exigem nada além de uma conta de correio eletrônico e uma dedicação de 30 a 60 minutos por dia em frente ao terminal do computador.

“Percebemos uma vontade das próprias instituições em acompanhar o aprendizado de seus funcionários. No entanto, é importante que os órgãos públicos garantam um e-mail institucional para seus funcionários, pois esta é a garantia que temos de que o aluno é mesmo um servidor público”, finaliza Djalma.

Para mais informaços sobre o CDTC: http://www.cdtc.org.br/brasil
ipv6
 
SoftwarePublico
 
Serpro
 
 
 

Impulsionado pelo Plone

Este site está em conformidade com os seguintes padrões: